(61) 3026-2826

Blog

14

fevereiro

Bariloche

Bariloche

Bariloche, ou San Carlos de Bariloche localiza-se na Argentina, no sudoeste da Província de Rio Negro, aos pés da Cordilheira dos Andes. É um destino que há anos transpõe o imaginário dos brasileiros. A maioria das pessoas pensa em neve quando imagina o lugar, mas Bariloche oferece muito mais que isso, inclusive, é excelente para se visitar no verão.

Conhecendo a região

Na fronteira com o Chile, Bariloche está cercada pelos lagos Nahuel Huapi, Gutiérrez e Mascardi e montanhas como Cerro Tronador, o Cerro Catedral, que é uma movimentada estação de esqui e o Cerro López. Possui cerca de 130 mil habitantes. Colonizada por alemães e austríacos, o local tem o relevo acidentado.

Documentação

Bariloche é uma cidade argentina que pertence ao MERCOSUL, portanto, brasileiros que viajam a turismo não necessitam de visto e nem mesmo passaporte. É possível viajar apenas o documento de identificação do seu país natal. Lembrando que o RG tem que estar dentro do prazo de 10 anos da emissão.

Moeda

A moeda da Argentina é o peso argentino, mas o dólar e o real também são aceitos no comércio local, mas nem sempre a cotação é vantajosa.

Economia

A principal atividade econômica de Bariloche é o turismo. Além das montanhas onde se podem praticar esqui e “snowboard” (Cerros Catedral e Tronador) destacam-se o Parque Nacional Nahuel Huapi, a travessia dos lagos andinos até o Chile, a Isla Victoria (no lago Nahuel Huapi), a região de El Bolsón (ao sul da cidade), a Colonia Suiza (em meio a bosques, na qual se situa um museu que conta a imigração suíça para a região) e os percursos turísticos chamados Circuito Chico e Circuito Grande, com paradas em vários pontos de onde se têm vistas panorâmicas dos bosques e montanhas ao redor da cidade. Seu comércio voltado para o turismo é principalmente de artigos de lã, couro e chocolates. Para os interessados em turismo de aventura, há opções de “rafting“, cavalgadas, “parapente” e ciclismo de montanha.

Clima

Bariloche está situada numa micro-zona climática e de vegetação de floresta temperada. Seu clima é temperado, influenciado pela proximidade dos Andes, e suas florestas se mantêm graças à abundância de água dos grandes lagos glaciais, como o Nahuel Huapi. No inverno (junho a agosto), as temperaturas caem abaixo de zero e a maior quantidade de neve nas montanhas mais altas dá início à temporada de esqui. Afastando-se poucos quilômetros para leste da cidade, porém, o clima se torna mais seco, surgindo a fria estepe da Patagônia com sua vegetação de gramíneas cada vez mais esparsas, até que a paisagem se torna a de deserto.

O que fazer em Bariloche

1- Circuito Chico – O Circuito Chico é definitivamente uma opção perfeita do que fazer logo no primeiro dia na cidade argentina. Isso porque nele você pode ter um panorama geral de Bariloche, já que o circuito percorre 65 km em aproximadamente 4 horas e passa por diversos atrativos turísticos interessantes da região.

2- Cerro Otto – O Cerro Otto, assim como seus morros vizinhos, oferece uma paisagem incrível de Bariloche e da natureza da cidade. O diferencial do local é que em seu topo fica a Confeitaria Giratória, que – literalmente- fica girando e assim proporcionando paisagens diferentes ao longo de uma refeição.

3- Visitar o Cerro Catedral – Principal área para esqui de Bariloche, o Cerro Catedral é uma atração imperdível no inverno! 
O lugar tem pistas para todos os níveis de esportistas, desde os que estão começando nos esportes aos mais experientes.  Vale a pena visitar até quem não pretende esquiar.

4- Cerro Campanário – Às margens do Lago Nahuel, o morro pode ser acessado através de um rápido trajeto de teleférico. Fazê-lo a pé é uma boa opção, dado que o morro não é muito alto, porém a dica importante é que se agasalhe, pois no inverno o frio lá em cima é cortante. Na sua cúpula há uma confeitaria para deliciar-se com os melhores doces caseiros, pratos do dia, bebidas e infusões, enquanto você vê o mundo através de uma enorme janela virada para o oeste.

5- Ir até a Vila La Angostura – Situada a cerca de 80 km de Bariloche, a Vila oferece um turismo mais comum. É possível conhecer a Vila La Angostura de ônibus ou de carro. Nela fica o Cerro Bayo, uma estação de esqui bem estruturada e que também não deixa a desejar quando a vontade é apreciar paisagens bonitas.

6- Admirar a paisagem do Lago Nahuel Huapi – É um programa simples e até trivial, mas que tem seu valor. Bariloche está situada às margens desse lago de águas azuis e aos pés da cordilheira; o cenário natural é lindo e vale super a pena observar a cadeia rochosa, muitas vezes com neve no topo.

7- Passear pelo centrinho de Bariloche – A cidade pode ser conhecida a pé. Vale a pena andar pelas ruas do centro de Bariloche, conhecer as lojas da rua Mitre e o Centro Cívico.

8- Passeio a Puerto Blest – Esse é um dos passeios lacustres de Bariloche que vai até Puerto Blest, navegando até o lago Nahuel Huapi. O passeio faz uma parada para caminhada para admirar a Cascata Los Cántaros, que está cercada por uma vegetação exuberante. Após a parada para admirar a Cascata, é hora de seguir até Puerto Blest, onde há um mirante para a Baía do Rio Frías.

9- Visitar o Museu do Chocolate – O Museu do Chocolate de Bariloche pertence à famosa marca argentina de alfajores Havanna. Considerado um dos melhores museus da cidade, ele fica dentro da fábrica da marca, na Avenida Ezequiel Bustillo, por isso, além de poder aprender mais sobre a história do chocolate, lá também dá para comprar ótimos doces.

10- Aproveitar todas as dicas acima, comprar, comer e se deliciar com os chocolates e tudo de bom que Bariloche tem a oferecer. Ah, aproveite este lugar incrível e já planeje sua próxima viagem.